Quinta-feira, 24 de Junho de 2010
Dicas de sedução e beijo

Quem é que não gosta de um bom beijo? Sabem, aqueles que a gente fica minutos e minutos apenas sentindo o gosto do mesmo e não se cansa? Beijar é uma das artes mais seculares que existe no mundo. É a forma como nós começamos a conhecer alguém mais intimamente, e podem falar o que quiser tudo começa por um simples beijo sim! E não há beijo sem ter uma sedução anterior a ele, até mesmo porque se não tiver aquele sabor de conquista, aquele cheiro de vitória não tem o mesmo peso o beijo e muito menos aquela magia que a gente sente. A primeira coisa que você tem que fazer é escolher uma pessoa para beijar. A vontade aparece e junto com ela você vai aprender a melhor forma de conquistar o seu espaço. Quer uma dica? Aprenda a falar sobre coisas que vocês dois tem em comum para que sejam despertados pontos em comum entre vocês. Procure saber um pouco mais dos planos da pessoa, e fale de você, o que você sente e aquilo que você busca. Quando rolar o primeiro beijo entre vocês, capriche! Sabe aquele ditado mais comum “a primeira impressão é aquela que fica”? É exatamente isso! Trate a moça com carinho, respeite todos os limites imagináveis e possíveis de se respeitar.

Nada por d que você beijar alguém e subir aquele cheiro desagradável, o famoso ‘bafo’. Por isso que o mais importante a se fazer é ter um kit de primeiros socorros bucal! Não saia de casa para encontrar a pessoa com quem você deseja estar sem uma bala, chiclete de hortelã ou qualquer coisa do tipo. I beijo por si só não trás muitas coisas, e por mais que traga no começo, se você não inovar vai parar de trazer com o passar do tempo, por isso nunca se esqueça beije com carinho, mas não esqueça as mordidinhas na boca, no queixo… Tudo para fazer a pessoa estar cada vez mais encantada. O cabelo é um ponto forte do beijo, por isso enquanto beijar alguém, que tal um cafuné na cabeça de leve só como prova de que o ato está sendo diferente para você? Muitas pessoas quando beijam parecem que levaram um choque: ficam com as mãos onde elas estão. O legal é que você inove, vá fazendo carinho, vá trocando as mãos das costas para a cintura para a cabeça, tudo isso conta vários pontos a seu favor.

Todas essas dicas são validas e depende só de você para serem praticadas. Não tenha medo de arriscar e fazer do seu beijo, ser o melhor entre os vários existentes.



publicado por adm às 00:25
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 22 de Junho de 2010
Kit oriental de prazer

Strip-tease, dança do ventre, massagem erótica tailandesa, posições do Kama Sutra, ritual tântrico, banquete afrodisíaco. Qual mulher nunca ouviu falar de técnicas orientais e segredos como esses para dar e sentir mais prazer na cama?

Se esse kit oriental funciona, é uma outra história.

Tudo depende de como você encara o sexo. Um strip-tease, uma massagem ou uma posição exótica do Kama Sutra podem ser altamente excitantes para o parceiro. E para a mulher também, desde que ela esteja ligada nos próprios desejos e nas sensações de prazer do corpo dela. Não dá para fazer uma coisa ou outra pensando exclusivamente em agradar o namorado ou o marido. E os seus desejos? E as suas sensações? E a sua excitação? Isso também precisa estar na lista de prioridades.

Todas essas técnicas podem, sim, ser muito estimulantes para você. Mas de nada adianta apostar nelas se a mulher não se conscientizou da necessidade de superar o básico, como a inibição de revelar ao outro onde e como gosta de ser tocada (e de perguntar o mesmo ao parceiro). Muitas vezes, aliás, a gente nem sabe direito do que mais gosta na cama. Fica pensando tanto no outro que se esquece do próprio prazer. É preciso descobrir nossas preferências. Isso é fundamental.

Como se ligar mais no próprio prazer? Na hora H, não dá para restringir o sexo a uma performance digna de uma atriz: alguém que só se preocupa em fazer caras e bocas, em criar mil e uma posições e técnicas para agradar ao homem ou em ficar de olho no espelho do quarto para ver se está mesmo tudo OK com o corpo. Sexo é muito mais do que isso. É dar prazer, sim. Mas é também sentir.

Na verdade, a relação sexual é uma troca: ambos devem estimular um ao outro. Lembre disso. Assim tudo será muito mais gostoso. E o kit de técnicas orientais? Divirta-se com ele, consciente de que é apenas um sabor a mais no cardápio erótico de vocês dois.

Laura Müller sexóloga



publicado por adm às 22:42
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 21 de Junho de 2010
Existe pílula do orgasmo?

Será que algum medicamento pode ajudar a mulher a sentir mais prazer e a atingir o orgasmo? Será que alguma pílula poderia fazer o que Viagra, Uprima e outros medicamentos têm feito pelas dificuldades sexuais masculinas? A resposta é não. Ainda não.

Não adianta a gente querer encontrar uma fórmula milagrosa para proporcionar mais desejo, mais excitação e o tão almejado orgasmo. O segredo está na nossa cabeça. Isso mesmo. As causas da dificuldade da mulher em atingir o clímax são psicológicas – e não físicas. É por isso que ainda não se descobriu uma pílula do orgasmo. As drogas sexuais tratam dos problemas da parte orgânica, não da emocional.

O que fazer, então, para chegar lá? A gente precisa aprender, antes de tudo, a não se cobrar tanto. Pensamentos e preocupações como "tenho de conseguir" ou "o que há de errado comigo?" só atrapalham, ainda mais quando invadem nossa cabeça bem na hora H. Ou seja, é preciso deixar as encucações de lado.

Um próximo passo é tentar ficar o mais à vontade possível com o próprio corpo: conhecer os pontos de prazer e não sentir vergonha ou inibição de se tocar. É preciso também ter coragem de mostrar ao parceiro do que você mais gosta – ou não – na hora do sexo. Tudo isso é importante para que o prazer seja cada vez maior.

Outro caminho importante é investigar se há algum trauma atrapalhando a obtenção do seu prazer, como lembranças muito negativas de alguma experiência sexual. Nesse caso, o melhor é recorrer à ajuda de um terapeuta sexual.Orgasmo é uma questão de aprendizado e de treino – não de medicamentos. A ciência evolui rapidamente, claro, e hoje já se pesquisa na Europa alguma droga capaz de interferir no prazer feminino. Mas são estudos iniciais e podem levar muito tempo para serem concluídos. O melhor a fazer? Vencer o tabu da masturbação, acabar com as cobranças internas, dividir com o parceiro os seus desejos e as suas expectativas e, se necessário, buscar a ajuda de um especialista. Você verá que, mesmo sem pílula do orgasmo, é possível ser muito feliz no sexo!

Laura Müller sexóloga



publicado por adm às 23:20
link do post | comentar | favorito

Domingo, 20 de Junho de 2010
Existe sexo anal sem dor?

Qual o segredo para fazer o sexo anal sem sentir tanta dor?

Laura Müller: O maior segredo é estar realmente a fim. Você quer? Sente mesmo vontade? Ou está apenas cedendo para agradar ao parceiro? A gente precisa, antes de tudo, investigar as nossas expectativas e os nossos desejos em relação a essa prática. Após avaliar se quer ou não quer, aí, sim, é hora de pensar em técnicas para ser cada vez mais prazeroso. Afinal, sexo deve ser sinônimo de prazer, não é?

Uma parcela das mulheres relata sentir uma enorme excitação pela prática anal. Isso se deve ao fato de o ânus ser uma região cheia de terminações nervosas e sensível às carícias. Ou seja, é possível sentir, sim, muito prazer com o sexo anal. Para isso, a mulher precisa estar extremamente relaxada. Se ficar tensa, vai acabar contraindo a musculatura e deixando tudo mais difícil.

O ideal é partir para a prática anal depois de muitas preliminares: beijos, abraços, carícias por todo o corpo, sexo oral... Tudo para que a mulher fique bastante excitada. É dessa maneira que o corpo feminino se prepara para o sexo anal.

A prática requer alguns cuidados especiais. O primeiro deles é a nossa velha conhecida: a camisinha! Ela é IMPORTANTÍSSIMA! A prática anal é a modalidade sexual que mais transmite o vírus da Aids e de outras doenças. Ou seja, sem prevenção, não dá.

Um detalhe: o preservativo deve ser trocado se o casal resolver partir para a penetração vaginal após a anal. Isso porque as bactérias que habitam o ânus podem causar uma série de infecções caso sejam transportadas pelo pênis para a vagina.

O próximo cuidado é o uso de lubrificantes. O ânus não é tão elástico quanto a vagina nem produz uma lubrificação natural como ela. Por isso é preciso utilizar algum gel à base de água, vendido em farmácias, para amenizar o atrito do pênis.

Há também uma técnica, divulgada em congressos de sexualidade de todo o país. Consiste em começar a prática com carícias no ânus, depois a introdução do dedo e, só mais tarde, o pênis. Dessa forma, a musculatura anal relaxa, facilitando a penetração.

São vários os segredos, não é? Mas o principal continua sendo o primeiro de todos: você precisa estar a fim. Assim, tudo fica muito mais gostoso.
Laura Müller sexóloga



publicado por adm às 23:26
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 18 de Junho de 2010
Porque as mulheres fingem o orgasmo?

Laura Müller: A primeira coisa é parar de fingir o orgasmo. Isso não é legal para você nem para ele. A relação vai perdendo mais e mais a graça, o desejo vai indo embora... A conseqüência é uma frustração geral.

Para que fingir? Sexo não deveria ser sinônimo de prazer? Então, pra que ir para a cama com a idéia de "acabar rápido"? Com certeza esse não é um bom caminho. Você precisa começar a rever esse comportamento e a modificá-lo com urgência. Só assim as coisas poderão melhorar.

O próximo passo é avaliar a relação de vocês dois. Vocês conversam aberta e francamente sobre as questões do relacionamento? Até que ponto um se sente à vontade para colocar suas angústias para o outro? Será que realmente existe intimidade entre vocês? E cumplicidade?

É importante saber que o comportamento do casal fora da cama influi directamente na relação sexual. É difícil conquistar um entrosamento erótico quando o lado afetivo está conturbado. Avalie, antes de tudo, a quantas anda a vida a dois de vocês. Caso descubra que não está lá essas coisas, uma boa saída é propor ao seu namorado um bate-papo amigo e esclarecedor. Esse pode ser o primeiro passo para aumentar o entrosamento.

Resolvidas as questões extra-cama, será a hora de falar de sexo. Ambos precisam contar um para o outro o que mais gostam, o que não gostam, as fantasias, os desejos, os medos sexuais, as encucações... Você acha complicado tocar nesse assunto? Então, vá devagar, mas não evite-o completamente.

O melhor é tentar vencer a barreira da inibição. Para isso, comece levando em conta que o próprio bate-papo sobre sexo já é altamente excitante para o casal. Então, crie um clima descontraído e comece a fazer perguntas. Fale de si mesma também. É muito divertido.

Já passou pela sua cabeça que talvez ele não saiba que você gostaria de mais carinho ou de sexo oral? Se a gente não diz claramente o que quer, o outro não tem que ter a obrigação de descobrir, não é? Vale o mesmo em relação à ele: talvez seu namorado também tenha expectativas sexuais que não estão sendo colocadas em prática na relação de vocês. A solução é conversar.

E se não houver um acordo nem na parte afetiva nem na sexual? Reflita mais uma vez e veja até que ponto vale à pena investir nessa relação. Pode ser que sim, pode ser que não. A decisão caberá a você.

Outra coisa: não fique pensando que você é a culpada por as coisas não estarem muito prazerosas. Sexo é 50% de responsabilidade da parceira e 50% de responsabilidade do parceiro. Ou seja, ambos precisam se empenhar para ser satisfatório para os dois. Uma dica: relaxe e procure fazer a sua parte da maneira mais prazerosa possível. Ele também deve fazer o mesmo. Assim, vocês só terão a ganhar!

Laura Müller sexóloga



publicado por adm às 23:37
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 17 de Junho de 2010
Qual a posição favorita para a mulher?

Laura Muller sexóloga: Varia muito. Tanto de mulher para mulher como de uma época para outra. Explico melhor: cada mulher tem a sua posição predileta (ou algumas posições preferidas). E essas preferências podem mudar de tempos em tempos.

Ou seja, a dica é: vale a pena investigar. O ideal é estar sempre aberto a experimentar novos jeitos de transar, mas também a curtir o repertório antigo, caso seja algo que traga prazer para vocês.

Vale saber: grande parte das mulheres gosta de posições em que o clitóris pode ser massageado (o clitóris é um dos principais órgãos de prazer feminino). Algumas dessas posições: ela sentada sobre o parceiro, ou a chamada de “colher” (ambos de lado, ela na frente dele e de costas para ele), ou qualquer outra em que o clitóris pode ser friccionado, talvez pelo próprio movimento dos corpos.

De qualquer forma, a sugestão principal é: descubram, juntos, quais as melhores posições. Esse jogo erótico de descoberta já será um enorme prazer!!!

Sexóloga Laura Müller



publicado por adm às 23:54
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 16 de Junho de 2010
Tudo sobre corrimento vaginal

O que é o corrimento vaginal?

"Corrimento vaginal é a saída de uma secreção que vem da vagina. O corrimento vaginal normal é em pequena quantidade, com um aspecto claro ou translúcido, fluido e sem cheiro intenso. A quantidade de secreção vaginal normal varia durante o ciclo menstrual (na altura da ovulação o corrimento é mais viscoso e em maior quantidade), durante o exercício físico e o período de excitação sexual que antecede as relações sexuais."

O que é que caracteriza o corrimento vaginal anormal?

"O corrimento vaginal torna-se anormal quando há um desequilíbrio entre os diferentes microorganismos que habitualmente se encontram na vagina (bactérias e fungos) causando uma inflamação da vagina (vaginite).

Quando a vagina está inflamada o aspecto do corrimento altera-se, tornando-se mais abundante, com cor branca ou amarelo-esverdeada e com um odor intenso e incómodo. O corrimento anormal geralmente aparece associado a sintomas locais como comichão, ardor ao urinar e dor durante as relações sexuais."

A vaginite é uma doença frequente?
Sim. A vaginite é a doença ginecológica mais frequentemente diagnosticada, atingindo cerca de 1/3 das mulheres pelo menos uma vez na vida.

O que é que pode causar alteração do corrimento vaginal?
"A maioria das vezes a alteração do corrimento vaginal é causada por uma inflamação da vagina (vaginite), embora esta também possa ocorrer sem sintomas. Com menor frequência a alteração do corrimento vaginal resulta de uma inflamação do colo do útero (cervicite).

As causas mais frequentes de vaginite com alteração do corrimento vaginal são a vaginose bacteriana, a candidíase e a trichomoníase. Quando o corrimento alterado provém de uma infecção do colo do útero as causas mais prováveis são a gonorreia e a infecção por clamydia."

O aspecto do corrimento vaginal pode sugerir qual o agente causal mais provável? "Nalguns casos sim. O aspecto do corrimento vaginal nas infecções mais frequentes é o seguinte:

1. Vaginose bacteriana

É uma infecção vaginal que resulta de um desequilíbrio entre os microorganismos que existem habitualmente na vagina com alteração da sua acidez e proliferação das bactérias nocivas. Na vaginose o corrimento é fino, de cor branco sujo e com um cheiro característico a peixe que aumenta de intensidade após as relações sexuais.

2. Candidíase vaginal

É uma infecção causada por fungos que não resulta de transmissão sexual mas de alterações do meio vaginal que podem estar associadas ao uso da pílula, diafragma, dispositivo intra-uterino, à diabetes, à gravidez e à ingestão recente de antibióticos .
O corrimento típico na candidíase é espesso, de cor branca (aspecto de queijo fresco), sem cheiro particular e acompanha-se de inflamação das paredes da vagina que ficam avermelhadas . A mulher queixa-se de comichão e ardor quando urina.

3. Trichomoníase


É uma infecção causada por um parasita, o trichomonas vaginalis, que se transmite por contacto sexual.
O corrimento na trichomoníase é abundante, de cor amarela esverdeada, com cheiro fétido e causa comichão intensa na vagina e ardor ao urinar. Em algumas mulheres a infecção pode ser assintomática.

4. Gonorreia e infecção por clamydia

O gonococcus e a clamydia são bactérias que se transmitem por via sexual e que podem causar corrimento vaginal por inflamação da vagina e habitualmente do colo do útero. Para verificar se o corrimento provém do colo do útero é necessário fazer uma observação ginecológica. Nestas infecções o corrimento costuma ser purulento (com aspecto de pús), amarelado e, por vezes, ensanguentado."

Há factores que predispõe à alteração do corrimento vaginal?
"Há. O meio vaginal normal tem uma acidez própria que ajuda a manter o equilíbrio entre os diferentes microrganismos que colonizam habitualmente a vagina. A alteração deste equilíbrio ou a entrada de microrganismos estranhos por contágio sexual leva à inflamação da vagina com alteração das suas secreções normais.

Os factores que podem alterar o equilíbrio da flora vaginal são:

1. uso de antibióticos
2. anticoncepcionais orais (pílula)
3. relações sexuais
4. irrigações vaginais e abuso de desinfectantes nos genitais
5. stress
6. alterações hormonais do ciclo menstrual, da gravidez e da menopausa
7. má higiene local
8. uso de roupa apertada ou de roupa interior de nylon, que favorece as condições de humidade propícias ao desenvolvimento de fungos
9. comportamentos sexuais de risco"

Como se faz o diagnóstico das causas de um corrimento vaginal alterado?
"Para diagnosticar a causa de um corrimento vaginal alterado é necessário conhecer os sintomas presentes, a sua duração, as características do corrimento, a história ginecológica, o uso de contraceptivos, etc. Após a colheita da história a observação ginecológica permite verificar a origem do corrimento, o aspecto do mesmo, e se há alterções da vagina e do colo do útero.

Para confirmar o diagnóstico o médico pode solicitar um exame laboratorial do corrimento (exsudado vaginal), uma colpocitologia (exame das células do colo do útero) ou análises de sangue (exames serológicos) que servem para confirmar infecções difíceis de identificar no exsudado vaginal."

Como se tratam as alterações do corrimento vaginal?
"O tratamento escolhido depende da causa dessa alteração.
Consoante a infecção identificada podem ser utilizados antibióticos, anti fúngicos ou antiparasitários, que podem ser administrados por via oral (comprimidos tomados pela boca) ou através de aplicações locais na vagina (cremes, óvulos ou comprimidos vaginais).

Nas doenças de transmissão sexual, como a trichomoníase, a infecção por clamydia e a gonorreia, é importante tratar o parceiro sexual e pesquisar a existência de outras doenças sexualmente transmissíveis associadas, como a sífilis e a infecção pelo HIV."

É possível prevenir as alterações do corrimento vaginal?
"Nem sempre é possível prevenir as alterações do corrimento vaginal pois por vezes estão associadas a factores que não podem ser evitados, como o uso de antibióticos em determinadas situações, as alterações hormonais do ciclo menstrual ou da gravidez, etc.

No entanto, há algumas medidas que podem ser úteis na prevenção das inflamações da vagina e do colo do útero, mantendo as condições de normalidade das secreções vaginais:

1. uso de preservativo para evitar as doenças sexualmente transmissíveis

2. reduzir a ingestão de produtos açucarados para prevenção da diabetes ou para manter os níveis de glicémia controlados nas doentes diabéticas

3. não fazer irrigações vaginais e não abusar de produtos de higiene feminina que alteram o equilíbrio da flora vaginal

4. usar roupa interior de algodão e evitar o uso de roupa apertada (por ex. Jeans) que mantêm condições de humidade e calor favoráveis à proliferação de fungos

5. manter uma higiene adequada dos genitais e utlizar o papel higiénico de frente para trás quando se limpa a região anal após a defecação (para não contaminar a vagina com microrganismos existentes nas fezes)

6. não abusar do uso de tampões, evitando sempre a sua premanência prolongada na vagina , pelo risco de desenvolvimento de infecções."
Autora: Dra Ana Ferrão



publicado por adm às 23:18
link do post | comentar | favorito

Todo relacionamento tem momentos bons e maus

Existem certos momentos dos relacionamentos em que eles ficam em “crise”. todo relacionamento tem os seus momentos bons e ruins. A boa notícia é que há maneiras de contornar a situação.

 

O básico e a melhor opção nesses casos é discutir a relação. Sente com o seu namorado ou marido e converse com ele de uma maneira objetiva e sem se exaltar. Não adianta ficar nervosa e começar a ofendê-lo, isso só vai destruir mais a relação.

Pergunte, antes de tudo, o que está acontecendo, por que ele está distante e se ele ainda gosta de você. Diga tudo o que você está com vontade de falar, desabafe, abra o seu coração. Com certeza, as coisas irão melhorar.

Se ele disser que está tudo bem e que você está ‘noiada’, tente mostrar que ele está errado. Exemplifique o seu ponto de vista com momentos que vocês já viveram e não ocorrem mais, diga que você sente falta de ‘romantismo’ e ‘dedicação’ da parte dele.

Caso você ache que não tem mais jeito, evite decisões precipitadas. Não termine o relacionamento de cabeça quente, todo mundo passa por alguns momentos ruins na vida que acabam afetando todas as pessoas que gostamos.

Agora pondere: se ele gosta mesmo de você, ele pode se decepcionar um pouco e se mostrar um pouco nervoso com a situação. Não reprima, ele tem todo o direito de ficar assim.

Muita gente diz que é bem chata essa ‘discussão’ da relação. Não é verdade, ela faz bem. Quando os dois entram em consenso,

Vocês podem acabar dando uma nova cara para o namoro e se apaixonarem ainda mais. É tudo uma questão de conversar.



publicado por adm às 08:10
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 15 de Junho de 2010
Argumentos para amar o sexo masculino

Amamos os homens porque eles não conseguem fingir um orgasmo, mesmo que queiram.

Porque jamais vão nos entender, e mesmo assim continuam tentando.

Porque conseguem
ainda ver nossa beleza, mesmo quando nós mesmas ja somos incapazes de acreditar nisso.

Porque entendem equações, politica, matematica, economia, e desconhecem o coração feminino.

Porque são
amantes que só descansam quando nós temos (ou fingimos) prazer.

Porque jamais têm medo do escuro.

Porque insistem em consertar coisas que estão além de suas habilidades, e se dedicam a isso com o mesmo entusiamo de um adolescente, e se desesperam quando não conseguem.

Porque são como romãs: grande parte é impossivel digerir, mas as sementes são deliciosas.

Porque jamais ficam comentando o que o vizinho pode pensar.

Porque sabemos sempre o que estão pensando, e quando abrem a aboca dizem exatamente o que imaginávamos.

Porque jamais sonharam em se torturar com saltos altos.

Porque adoram explorar nosso corpo, e conquistar nossa alma.

Porque são sempre atraidos por extremos: opulentos ou ascéticos, guerreiros ou monges, artistas ou generais.

Porque o maior
medo de um homem é não ser um homem - o que jamais passa pela cabeça de uma mulher (não ser uma mulher).

Porque sempre terminam a comida que está no prato, e não sentem culpa por causa disso.

Porque são
dotados de ombros onde conseguimos dormir sem muito esforço.

Porque têm uma coragem impressionante diante de insetos.

Porque jamais mentem sobre a idade que têm.

Porque, apesar de tudo que tentam demonstrar não conseguem viver sem uma mulher.

Porque quando dizemos a um deles “eu te amo”, sempre pedem para que a gente explique exatamente como.



publicado por adm às 00:21
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 14 de Junho de 2010
O ABC das relações sexuais

Não é uma questão de dominar técnicas eróticas. Muito menos de sorte. Também não tem nada a ver com beleza ou juventude. Sexólogos revelam os segredos - alguns até bem simples - Vamos embarcar e ver no que vai dar.

* Amor fora de hora por que fazer sexo sempre no mesmo horário? Se, por exemplo, você não tem o hábito de ficar na cama de manhã para “algo mais”, experimente, aconselham os especialistas. Dá uma tremenda vitalidade e funciona como uma espécie de antidoto contra os aborrecimentos do resto do dia.

* Borboleta de Vênus é a técnica criada pelos sexólogos Bob e Leah Schwartz, também chamada de “orgasmo de uma hora”. Não tem nada de exótico pelo contrário. O x da questão: o parceiro deve - para o bem dos dois - caprichar nas preliminares e prolongar as caricias e os toques, aprendendo a parar quando estiver quase chegando lá.

* Condicionamento sexua
l no livro que tem este titulo (Sexual Fitness), os doutores Hank Wuh e Mei Mei Fox garantem que o bom desempenho e o prazer dependem de um coração saudável e baixos niveis de colesterol. Só assim os genitais recebem fluxo sanguinéo adequado. Por isso, a atividade física é fundamental. Sem falar que ela leva o cérebro a fabricar endorfinas, as mesmas substâncias quimicas liberadas quando nos apaixonamos. Os exercicios aeróbicos são perfeitos para aumentar a satisfação sexual. Melhor se acompanhados de um alongamento no inicio e flexôes no final.

* Diversão
o sexo deve ser encarado como uma actividade lúdica, e não como uma missão a ser cumprida. A maioria das pessoas acaba não aproveitando tanto a brincadeira quanto poderia por excesso de preocupação com a performace. “Quando colocamos o foco no desempenho, ficamos altamente ansiosos”, ao relaxar, abrimos caminho para os prazeres.

* Exercicios vaginais para fortalecer os musculos, os especialistas recomendam dois exercicios simples: 1. Sente-se firmemente numa cadeira com as mãos nos joelhos e os pés paralelos. Incline o corpo um pouco para frente e inspire contraindo os musculos vaginais como se estivesse sugando alguma coisa. Conte até 30 e relaxe expirando. 2. Em pé, contraia e relaxe a musculatura da vagina com se tentasse expulsar algo. Faça os dois exercicios durante 10 minutos cada um.

* Fantasias partilhadas é tão importante que terapeutas aplicam em pacientes “travados” a técnica Treino de Fantasias. A pessoa é incentivada a criar uma espécie de roteiro erótico completo, com cenário, personagens, sons e cheiros e, em seguida, a revela-lo em detalhes ao parceiro. A idéia é colocar o casal em sintonia com os devaneios secretos um do outro. Terapia comprovadamente mais do que necessária, pois uma pesquisa da Sociedade mostrou que apenas um terço dos amantes costuma partilhar as fantasias eróticas.

* Generosidade sentir que a pessoa amada está preocupada com o nosso prazer é extremamente excitante e gratificante. E a reciproca com certeza é verdadeira. Portanto, converse com seu parceiro. Você se surpreenderá com as descobertas. “É uma troca constante, que faz conhecer os limites e as necessidades do outro e possibilita aumentar ainda mais o prazer do casal”.



publicado por adm às 00:43
link do post | comentar | favorito

.pesquisar
 
.posts recentes

. Beijos, abraços, aperto d...

. Intimidade em excesso pod...

. 8 coisas que enlouquecem ...

. 7 coisas que enlouquecem ...

. Principais Causas de Infe...

. Dor na hora do sexo

. Nojo do sexo oral

. Sexo Oral – 10 Dicas para...

. A arte de amar. Sexo espo...

. Tudo pelo prazer

. Dicas de sedução e beijo

. Kit oriental de prazer

. Existe pílula do orgasmo?

. Existe sexo anal sem dor?

. Porque as mulheres fingem...

.Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

.tags

. todas as tags

.links
.subscrever feeds