Sábado, 8 de Maio de 2010
Duvidas sobre o sexo oral!

1 Sexo oral deve ser feito com camisinha?
O sexo oral deve ser feito sim com preservativo, pois é possível contrair doenças com esta prática.

2 É possível transmitir HIV no sexo oral? E mais quais doenças?
Sim, é possível. Principalmente se a pessoa tiver uma cárie ou uma ferida na boca, pois o vírus entra em contato com a corrente sanguínea rapidamente desta forma. Outras doenças que também podem ser transmitidas são herpes, HPV, sífilis, gonorréia, além de hepatites B e C.

3 É possível chegar ao orgasmo com o sexo oral?
Sem dúvida que sim, desde que as pessoas estejam à vontade e excitadas.

4 Engolir ou não engolir o esperma?

Aí vai da vontade de cada um. Mas para engolir é fundamental saber bem com quem se está transando, já que durante a prática sem preservativo há riscos de contrair doenças.

5 O cheiro pode atrapalhar a excitação na hora do sexo oral?
Não, desde que o cheiro não seja algo insuportável. Há homens e mulheres que tem um cheiro mais forte. Pode ter certeza de que estas pessoas possuem algum corrimento, bactérias, etc.

6 Sexo oral no ânus é prejudicial à saúde?
É bom lavar o ânus antes desta prática, pois o contato direto da língua com as fezes, mesmo que em pequena quantidade, pode trazer doenças.



publicado por adm às 23:33
link do post | comentar | favorito

O que é sexo oral?

De acordo com a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, o sexo oral é uma variação da prática sexual.

Embora seja senso comum acreditar que o sexo oral é o contato direto da boca e da língua com os órgãos genitais, o termo se refere a qualquer estimulação sexual dos lábios nas mais variadas partes do corpo.

Carla ainda explica que o oral pode levar ao orgasmo sem haver, necessariamente, a penetração.

Há termos que determinam o tipo do sexo oral. Quando o contato ocorre entre os lábios e o pênis chama-se felação, ao passo que o estímulo com a boca na vagina é o cunilingus. Não se pode esquecer que o anulingus significa o oral feito no ânus.



publicado por adm às 00:25
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 6 de Maio de 2010
Acessorios eróticos-explorando e conhecendo a sua intimidade

A primeira questão que tentaremos abordar é: "por que o uso de acessórios eróticos?". O que eles têm a ver com nossa sexualidade? Em quê eles poderiam nos ajudar, se é que isso acontece?

Para a maioria das pessoas, o simples uso de um vibrador é entendido como "descontentamento sexual". Ou seja, ou o parceiro não está "dando conta do recado", ou é por "efeito da solidão"... Veremos que não é bem assim.

Na civilização greco-romana, o uso de acessórios eróticos foi grandemente difundido. Escavações das décadas de 1960 e 1970 em Herculano e em Pompéia recolheram material suficiente para equipar um pequeno "museu erótico", mas que infelizmente está com visitação restrita. Nas culturas árabe clássica, chinesa, japonesa, indiana antigas e em outras, o uso de acessórios nas cortes era bastante difundido e até estimulado.

O que são "acessórios eróticos"? Basicamente, qualquer objeto que insinue, ou que seja definitivamente usado para excitar a si ou ao parceiro. Um simples pedaço de napa vermelha e muito macia poderia ser um acessório erótico para alguém que se excite com aquela textura macia do couro tratado. Há também acessórios que se podem apenas simular, não sendo recomendável seu uso. A exemplo, frutas e legumes frescos, objetos de uso quotidiano como canetas e outros que como não foram desenhados para o objetivo, poderiam causar lesões por perfuração ou corte, portar bactérias e outros agentes nocivos/irritantes, etc..

Qual o conceito que está por trás de "estimulação erótica"? Em primeiro lugar, explorar e conhecer seu próprio corpo. Nos orgulhamos de termos nascido em uma "sociedade livre de preconceitos", mas o fato é que nunca se falou tanto e nunca se praticou tão mal a sexualidade humana. Não conhecemos nosso corpo, não sabemos nossos limites. Nunca nos ensinaram na escola a segurar o orgasmo, esperando o parceiro atingir igual excitação. Nunca disseram para nós o que fazer após o acto sexual. É tudo isso que precisamos redescobrir.

Como fazer isso? Em primeiro lugar, você deve estar disposto a se conhecer melhor, a ensaiar na frente de um espelho. Aconselho a arranjar um espelhinho portátil e uma fonte de iluminação adequada. Com as mãos, você deverá explorar seus órgãos sexuais, conhecer melhor seu próprio corpo. Explore outros ângulos de visão, com ajuda do espelho é possível conhecer melhor as dobras da vagina, bolsa escrotal, ânus e região próxima. Dificilmente alguém que não se conhece aprenderá a se amar. Quem não se ama, não poderá fazer o mesmo com o parceiro.

Para quê servem os acessórios eróticos? Basicamente, enumerei seis utilidades: 1-voyerismo; 2-excitar e prolongar as prévias antes da cópula melhorando a ereção; 3-produzir excitação e gozar(orgasmo), ou prolongar o clímax; 4-iniciação em práticas "avançadas"; 5-jogos BDSM


1-voyerismo. Muitas pessoas se excitam em assistir ao parceiro trajado de determinada maneira, ou tendo sensações eróticas/fazendo uso de acessórios. Pessoalmente, me incluo nesta categoria. Os "sex-shops" normalmente possuem material abundante para isso e infelizmente, na maior parte de baixa qualidade. Se for comprar vestimentas, verifique se não é possível mandar confeccionar em algum lugar exclusivo antes de apelar para fantasias baratas. Dica: dificilmente quem confecciona trajes de gala se espanta com pedidos estranhos...

Aconselho sempre a dialogar com o parceiro(a). Se não quiser abordá-lo diretamente, pode presenteá-lo com alguma vestimenta ou acessório especial. Na hora de entregar o presente, demonstre naturalidade e não tente se explicar. Nossa cultura nos obriga a negar o prazer e não raramente, uma resposta inicial de repúdio do parceiro pode significar, de fato, aprovação. Seja paciente, ganhe aos poucos a confiança e o mais importante: não o obrigue a vestir ou fazer nada. Tudo deve ocorrer naturalmente.

Se o presente for um acessório. No caso de mulheres, escolha ou um pênis de borracha macia de tamanho pequeno (tome muito cuidado com a qualidade), ou um desses excitadores clitorianos (em forma de ursinho, coelhinho, unicórnio, etc..). Saia fora de acessórios grosseiros, equipamentos inadequados ou extravagantes e desconfie dos que forem baratos demais. Importante: teste muito bem o aparelho antes de sair da loja: normalmente a porta do estabelecimente é o limite sua garantia... (ah, e não esqueça de dar as pilhas junto com o aparelho!)

No caso de homens, presenteie com algum acessório peniano. A educação masculina obriga a repudiar o erotismo anal, que na maioria dos casos permanece latente. Portanto, não comece dando logo de cara um plugue anal para seu namorado/noivo/marido. Não são aconselháveis: bombas de vácuo (perigosas demais - apenas para experientes), anéis metálicos (entalam com freqüência e devem ser retirados num serviço de saúde), vibradores para escroto (podem causar lesões irreversíveis/impotência). Recomendo pequenos vibradores (são fantásticos para estímulação da glande), vibradores com adaptador para cabeça do pênis, anéis de borracha macia para base de pênis (com ou sem vib) e principalmente: uns masturbadores em borracha macia. Estes possuem a forma de um cilindro transparente e dão sensações eróticas indescritíveis (não são aquelas "vaginas de silicone"). Importante: não esqueça de comprar também um tubo de KY na farmácia (normalmente é mais barato).

Plugues anal - se a prática já for conhecida entre os parceiros, aconselho começar com um plugue pequeno. A adaptação aos acessórios de borracha dever ser feita com muita cautela, com o risco de causar danos irreversíveis. Se for presentear com um vibrador em formato de pênis e acabamento em borracha, aconselho de seja inserido por esta via com uso de camisinha. Cuidado com plugues metálicos (devem ser totalmente lisos e ausentes de farpas). O problema da borracha é que é porosa e será quase impossível higienizar o acessório após o uso. O uso de acessórios infláveis comporta riscos e deve ser considerado uma prática BDSM "avançada" - cuidado!

2-Excitar/provocar o parceiro antes da cópula. O essencial nestas práticas é não produzir o orgasmo. É uma espécie de equilíbrio muito delicado: se sentir qualquer espécie de dor indesejada, o parceiro(a) irá perder a excitação e provavelmente tudo se acaba; se a estimulação for insuficiente, perde o interesse e irá se distrair; se for forte demais, irá gozar e tudo se encerra como se tivesse ocorrido a cópula. Os antigos ficavam nestes jogos por horas a fio. Pode haver pausas, pode-se parar para fazer xixi e depois retomar os jogos. O importante é que haja continuidade e que possa ser sustentado por muito tempo.

Não tenha pressa. Não vá "cêdo ao pote". A excitação é como o desabrochar de uma flor, não pode ser forçada ou esta será uma flor doente. Tenha as mãos muito leves, faça transições lentas. O beijo ajuda a manter a ereção. Se for tocar a região genital ou inserir algo, tenha certeza de que está tudo muito bem lubrificado (lubrifique o aparelho e não a genital). A televisão distrai. Música clássica em CD é mais aconselhável que MPB ou FM. Deixe uma garrafa de água por perto e não marque compromissos para o dia. Se for atender o telefone, não interrompa os estímulos.

Com o tempo, será possível "treinar" o parceiro para este aprender a segurar o gozo. Isto irá melhorar o desempenho sexual de ambos. Quando se aprende a controlar o próprio corpo, é possível por exemplo, manter a ereção por períodos prolongados e a penetração fica mais "interessante". (Pode ser feito individualmente, sem o mesmo resultado). Lembre-se: formar uma "máquina de sexo" exige tempo de treinamento...

Se for usar "eletroestimulação" (aparelhos próprios para isso), use baixíssimas intensidades, por períodos bem prolongados. Enquanto o aparelho estiver operando, lembre-se de que beijo é terminantemente proibido!

3-Levar o parceiro ou a si ao orgasmo. Se pretende simular o sexo com um acessório erótico, há algumas regras que devem ser seguidas. Como a maioria das pessoas as desconhece, é usual comprarem um acessório em uma "sex-shop" e sobrevir a decepção. Vamos a algumas delas.

Primeiramente, seu corpo não é uma "máquina de sexo". Não basta introduzir/adaptar o acessório e esperar o gozo. Pelo contrário, já que está emulando a prática sexual, deve seguir todas as etapas. Não adianta tentar "violar a natureza", antes adaptar as técnicas à nossa constituição natural.

Consideremos as seguintes fases: a)despir-se/iniciar os jogos eróticos - se for fazer isso sozinho(a), faça-o na frente de um espelho. Dispa-se bem devagar, explore a sensualidade das suas formas, sejam elas quais forem; b)começo das "brincadeiras" - um lugar macio para sentar/deitar e à prova de vazamentos de KY e fluidos. Aconselho a ter uma toalha especial para proteger sua cama/sofá. Os jogos devem ser lentos e começa-se a alisar, passar a mão bem de leve sobre as zonas eróticas. Depois começam as experimentações com os acessórios. Se tiver mais de um, deixe-os por perto, assim como coisas que o(a) excitem (livros, fotografias, filmes, etc..). Só comece os jogos mais pesados quando sentir que começaram a ficar molhado(a)... (esta fase deverá durar entre dez e quarenta minutos, de maneira geral); c) introduzir/acoplar seu "acessório de cópula". Lubrifique o acessório bem antes de fazer isso e mantenha-o firme em sua posição durante a "cópula". Pode se mexer ou movimentar o acessório, se assim desejar, mas não o retire/desacople até atingir o clímax; d) clímax e orgasmo - quando perceber que vai ter o orgasmo, tente assim mesmo "segurar o orgasmo". Na verdade, isso irá aumentar o tempo de excitação máxima, sempre mantendo o aparelho no lugar. Quando começar a gozar, certifique-se de que o equipamento não irá desacoplar, pois deve ainda prolongar o prazer por algum tempo. Não basta "excitar e gozar", deve-se manter a excitação também durante o orgasmo e um pouco mais, ou não irá ficar satisfeito(a). Se for um equipamento de "eletroestim", é conveniente baixar um pouco a intensidade dos choquinhos nesta hora, pois a região fica mais sensível que o normal. e) após o orgasmo- muitas pessoas ignoram esta fase, que é uma das mais importantes. Retire/desacople os acessórios lentamente, solte amarras e mordaças devagar e acaricie muito o parceiro(a). Aconselha-se a ficar abraçado por um tempo e há homens e mulheres que gozam ainda uma outra vez desta maneira (sim, homens também!). Depois, uma dormida ou uma pequena descansada e nada como um bom banho! Evite nesta hora falar alto ou colocar música irritante (a não ser que curta um bom "heavy metal").

4-Iniciação em "práticas avançadas". Pode ser que seu objetivo seja por exemplo, explorar o sexo anal ou o "fisting" (introdução de membros na vagina ou ânus). Neste caso, deve buscar acessórios eróticos que irão gradualmente ajudá-lo a explorar esta dimensão da sua sexualidade. Não considere anormalidade também o homem buscar o prazer anal. A nossa sexualidade exclui os "anormais" (gays, lésbicas, sadomasoquistas e outros) e dependendo da educação recebida, a "purificação" vai ainda mais longe, proibindo estimulação na zona anal, felação (masturbação), exploração sensual do próprio corpo e até mesmo negando a própria libido (desejo sexual).

Se você segue este caminho, muito bem. Não deveria estar lendo este texto. Mas se você acredita que as coisas poderiam tomar outros rumos, então é possível explorar outras dimensões na sua forma de encarar o prazer erótico. Hoje os "sex-shops" estão mais abertos e a importação garantiu a entrada de equipamentos antes desconhecidos no mercado brasileiro. Para os iniciantes em sexo anal, por exemplo, há "kits" de plugues anal de tamanhos progressivos, indo desde o "iniciante", até o "avançado" e em diversas cores. Para praticantes do "fisting", já vi mãozinhas e braços de todos os tamanhos e não mais é necessário começar com um acessório de tamanho inconveniente. O mundo BDSM é um universo à parte e a criatividade atinge níveis indescritíveis. Infelizmente, ainda há quem pense que "bolinhas tailandesas", por exemplo, servem apenas aos "depravados"...

Dica: se for começar uma prática nova, seja ela "pumping" (uso de bombas de vácuo), "fisting" (introdução de dedos e punho) ou qualquer outra, aconselho a buscar ajuda de pessoas mais experientes. Não tenha pressa em se iniciar em uma prática que desconheça os efeitos. Se possível, converse com um médico da sua confiança para esclarecer eventuais dúvidas. Cuide muito bem do aspecto da higienização dos equipamentos e no caso de surgir qualquer tipo de lesão por efeito mecânico (acidente físico) ou por agente microbiano (infecções), procure seu médico imediatamente.

5-BDSM. A "bondage e dominação, sadismo e masoquismo" é praticamente universo à parte. Há pessoas inciadas das mais diversas opções sexuais e os ritos também são muito diversificados. Existem desde práticas "light" até as mais "pesadas" imagináveis. A regra básica a seguir é: "são, seguro e consensual" e deve-se ter em mente que qualquer prática desta natureza envolve sim, riscos. Os riscos podem ser gerenciados, mas jamais ignorados.

Se for se iniciar, procure se informar muito bem antes. Você terá que aprender a distinguir os "falsos mestres e senhoras" dos verdadeiros. Qualquer prática que viole qualquer uma das três "regras de outro" (são, seguro, consensual) não deve ser considerada BDSM e sim um tipo penal punível por lei.

Se for o caso, antes de sair comprando chicotes, braceletes e máscaras, entre em contato com praticantes do BDSM real (não valem "mestres" dos chats de Internet). Quase que certamente, deverá ter que confeccionar seus próprios acessórios, uma vez que o que é vendido nas "sex-shops" é praticamente imprestável (não acredite nos "conselhos da vendedora", a não ser que quem esteja comercializando realmente "entenda do assunto").

Sim, BDSM é 9O% teatro. Sim, é necessário aprender a se portar, a vestir e trajar os "uniformes" e a ordenar/obedecer. É preciso ensaiar muito, uma vez que se "faz um papel". Os acessórios devem ser muito bem testados previamente e não se admite a menor falha no "ato". É possível se "inverter papéis", desde que todos saibam precisamente qual o papel que está desempenhando.

Mas há os 10% que não tem nada de encenação. Para isso, é necessária muita prática ou os acessórios não irão funcionar. Se for chicotear, aprenda antes com alguém que saiba fazer isso muito bem. Experimente antes em você mesmo, até que tenha certeza do que está planejando, que não irá colocar em risco ou comprometer a saúde do parceiro(a). Se for usar "eletroestim", pratique muito em você mesmo antes e não tenha seu limite como parâmetro universal, pois há pessoas mais e outras menos sensíveis. Muita dor não significa necessariamente muito prazer; o resultado ideal está em um casamento perfeito das duas coisas e na medida exata. Jamais use eletricidade "acima da cintura" e eletroestimulação de mamilos definitivamente não é uma boa idéia!



publicado por adm às 23:47
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 5 de Maio de 2010
O que é o Bondage?

Bondage na verdade conforma as práticas de escravização. Popularmente usado para referir-se a atividades de imobilização com cordas, lenços, algemas de couro ou metal, tornozeleiras, "spread bars" (barras de alargamento que servem para manter pernas e braços abertos visando à imobilização do(a) parceiro(a). Todas as "cenas" de Bondage remetem ao tema básico: o cativeiro. Dentro dos grupos e comunidades de BDSM (bondage e sadomasoquismo) existe uma regra básica de segurança, definindo que imobilizações ou "amarrações" só são feitas do tórax para baixo. Cabeça e pescoço são áreas proibidas devido à possibilidade de asfixia. Dentro do S.S.C. há um limite de tempo para se deixar alguém imobilizado, em decorrência da possibilidade de isquemia tecidual, ou seja, da falta de irrigação sangüínea em uma área. Algumas pessoas acham extremamente sensual a situação de estarem imobilizadas, à mercê de outrem. Estar fisicamente imobilizado dentro de um contexto de consensualidade dá a possibilidade para os aficcionados de experienciar sua sexualidade livremente, o que, talvez, de outro modo, estas pessoas poderiam não ser capazes de se permitir em virtude de questões morais ou de educação. Bondage pode ser também visto como a transferência da responsabilidade para quem coordena a ação.


tags: ,

publicado por adm às 23:22
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 3 de Maio de 2010
O sexo anal é seguro?

O sexo anal, praticado corretamente, é tão seguro quanto qualquer outro pratica sexual. E as pessoas o praticam porque é bom - o ânus pode ser uma região intensamente erógena. De facto, muitas pessoas além dos gays praticam o sexo anal! O ânus contém mais terminações nervosas do que qualquer outra parte do corpo masculino e mais do que qualquer outra parte do corpo feminino, com exceção do clitóris. Não é estranho que o sexo anal seja parte da vida sexual de muitas pessoas.

O sexo anal abrange desde uma simples estocada no ânus do seu parceiro com um dedo lubrificado ou o deslizar de alguns dedos dentro do seu parceiro, até mesmo todo um intercurso anal. Todas essas práticas são fisicamente muito prazerosas, e se você simplesmente lavar a sua bunda, não há nada repulsivo sobre elas. O tabu sobre sexo anal é muito antigo, mas se você souber o que está fazendo não há necessariamente uma razão médica para isso. Se você tem interesse em limpar-se completamente, vá ao banheiro antes da cena, e lave o seu ânus - por fora, e se quiser, por dentro, com um enema. Se você quiser sentir-se limpo para praticar o sexo anal, não é difícil ( Isto também é muito importante, tanto quanto usar técnicas de sexo seguro, as quais eu descrevo um pouco mais adiante.)

As principais regras para o sexo anal são a Comunicação, Relaxamento e Lubrificação. Veja bem, seu ânus consiste de dois anéis musculares, os esfíncters externo e interno. Seu esfíncter esterno está sob seu controle voluntário - você pode relaxá-lo por vontade própria. Mas o seu esfíncter interno não está sobre seu controle. Se você estiver tenso, seu esfíncter interno estará apertado e tentar forçar qualquer coisa para dentro dele, machucará e fará com que você (e ele) fiquem mais tensos ainda. Então, a regra para o sexo anal é ir devagar, você não pode se forçar a gostar disso.

Comunicação: falar sobre o que irá fazer antes de fazer! Não enrole o seu parceiro nem o surpreenda; ele não vai relaxar e não vai ser divertido. Tenha certeza que vocês dois estão confortáveis sobre a idéia de fazerem sexo anal. Relaxamento: ouça o seu corpo. Se o seu ânus quiser que brinquem com ele, você vai saber; se não quiser, não force.

Lubrificação: o seu ânus não é lubrificado, então é necessário que você use um lubrificante á base de agua como o ky gel. Use um monte dele; é limpo! Quanto mais lubrificante usar, mais confortável vai ser. E finalmente, a comunicação de novo: se você não brincou com o seu ânus antes, as sensações vão ser intensas e estranhas. Você vai sentir como se estivesse tendo um movimento intestinal quando o seu parceiro tirar seus dedos de dentro de você; leva algum tempo para notar que essa sensação é enganosa e que o que você está sentindo não vai resultar em sujeira no lençol. Não é suficiente apenas limpar seu ânus, o seu parceiro também deve usar uma barreira de látex (como uma luva, para o contato com dedos, uma proteção dental ou um pequeno pedaço filme plastico para lamber, e preservativos para penetração quando estiverem tendo sexo. É verdade no geral, mas vale especialmente para o sexo anal: sexo anal sem proteções é o mais arriscado tipo de sexo, levando em consideração que transmite qualquer tipo de DST (doença sexualmente transmissível). E usar proteções sempre aumenta a sensação de segurança e limpeza, o que ajuda muitas pessoas a relaxarem e a curtirem mais a experiência que estão tendo. (Algumas pessoas dizem que o sexo anal não é tão arriscado. O fato é que, em algumas cidades os parasitas intestinais, disseminados pelo sexo anal desprotegido, têm sido considerado um sério problema de saúde transmissível sexualmente, com milhares de pessoas infectadas. Decida você mesmo quanto risco quer correr). E qualquer coisa que venha a ter contato com o ânus deve ser totalmente limpo (ou descartado, no caso de barreiras de látex) antes de entrar em contato com a boca ou com a vagina.

Eu já mencionei que não é boa idéia forçar nada. Deixe-me ser mais enfático: se você sentir dor no seu ânus quando estiver fazendo sexo anal, pare. O Sexo anal muito bruto pode forçar ou mesmo romper o revestimento anal, o que pode levar a sérias infecções. O sexo anal não se mistura com força, e nunca deve ser usado como maneira de causar dor. E se você notar que está sangrando pelo reto, vá ver um médico, imediatamente. (Não tenha vergonha - eles já viram isso tudo antes.. apenas tome conta de você mesmo!).

Isto dito, é preciso deixar claro o que eu quero dizer com PARE se você sentir dor. É exatamente isso: pare de se mexer. A dor deve ser apenas o seu esfíncter reclamando que está sendo esticado um pouco mais e quando você parar de forçá-lo ele para de doer - e possivelmente vai relaxar. Se ele não parar de doer quando você parar de se mexer, então você deve retirar o que quer que seja (devagar) e tomar atitude apropriada. Se parar de doer, espere um pouco e então comece novamente... seu ânus vai fazer com que você saiba se ele quer parar novamente (por isso, preste atenção nele! Ficar bêbado, NÃO é uma boa idéia, porque você não deve bloquear qualquer dor que você deva sentir).



publicado por adm às 23:55
link do post | comentar | favorito

Domingo, 2 de Maio de 2010
Fetiches,couro,saltos altos etc

Todas estas coisas: vestimentas eróticas ou objetos de qualquer outro tipo são "fetiches". Um fetiche é qualquer objecto que tenha conotações sexuais para você. Se você se sente sexy ao vestí-lo ou quando vê em outra pessoa, é um fetiche. Não há nada de errado em se ter fetiches; de fato, é raro a pessoa que não tenha algum! Algumas pessoas têm suas cabeças "viradas" por axilas; algumas por unhas dos dedos dos pés pintadas; algumas por uma boa lingerie antiga. As técnicas de negociação e comunicação das quais eu já falei podem também servir para explorar seus fetiches particulares, sejam eles quais forem.

O couro é um dos fetiches mais básicos no meio BDSM. Camisetas de couro, bonés de couro, algemas de couro e assim por diante. O mesmo vale para o látex. Muito do "appeal" dessas dois materiais, me parece, está em serem apertados e brilhantes; roupas feitas com couro ou látex aumentam a atenção ao seu próprio poder de sensualidade, e os restritores (braceletes e tornozeleiras) feitos nesses materiais podem ficar agarrados como uma segunda pele. No geral, o couro e o látex são duas categorias de fetiche realmente grandes -- e o fetiche é definido como algo que "liga" alguém, entendeu?

As roupas de couro absorvem fluidos; por isso, não as molhe. A água vai danificar o couro; sangue ou outros fluidos corporais também deixam seu cheiro no couro. Você pode usar sabonete próprio e água para limpar seu couro, e uma pasta especial para couros para mantê-lo macio e em boas condições.

O látex não absorve fluidos à base de água, mas óleos o deixam estragado, e a exposição longa à luz do sol, vai ressecá-lo. Quando vestir o seu látex, aplique grandes quantidades de talco em você mesmo e na parte interna do látex; isto vai ajudar a deslizá-lo mais facilmente. Não puxe o látex com suas unhas senão ele se rasga; e esteja certo que suas unhas dos pés estejam cortadas antes de calçar suas meias de látex. Depois que tirar as roupas de látex, lave-as com água para remover óleos, então seque-as (alguns recomendam que joguem talco nelas) antes de guardá-las.

Há também as roupas de PVC (roupas de "aparência molhada"), que geralmente são pretas, brilhantes e esticam. O PVC já vem com uma cobertura plástica de fábrica, é lavável e relativamente caro.

É claro, que uma boa lingerie antiga também pode ser muito instigante. Geralmente é verdade quando dizem que pouca roupa é mais sexy que nenhuma. As vestimentas e adornos eróticos podem adicionar muitas faíscas à cena; eles podem preparar o palco como nenhum outro. A mente é a região mais erógena, o papel no jogo e a simulação podem ser muito, muito quentes se combinados ou não a outros elementos SM.

Corpetes e saltos altos: ambos são peças limitadoras que acentuam as curvas do corpo e que funcionam realmente bem como parte do jogo SM -- eles podem acentuar os passos dominadores de uma mistress ou estorvarem os passos de um escravo. São alguns itens do fetiche clássico. Saltos bem altos podem tornar o andar impossível, o que pode ser muito sexy! Corpetes bem usados, podem mudar drasticamente a forma do seu corpo, enquanto intensificam as sensações. E corpetes e saltos altos, como qualquer fetiche, podem ser combinados com muitos tipos diferentes de cenas.

Outros fetiches: protetores de testículos para esportistas, cuecas do tipo "boxers" em mulheres, roupas de gala em homens, roupas de cowboy, uniformes (policiais, militares e outros), enfermeiras, trajes de odaliscas... a lista é sem fim. Se te excita se vestir ou ver alguém vestido com qualquer uma dessas coisas, porque não tornar isso parte da cena? (Uma boa que ouvi recentemente: "Vamos fazer sexo casual... ou eu devo usar algo especial?").

No geral com fetiches, qualquer coisa serve! Se você se sentir mais envolvido do que gostaria com um fetiche, então você deve observar seu comportamento e ver se deve mudá-lo. Mas se você gosta, se o seu parceiro gosta (ou gosta que você goste) e se é tudo consensual, então use! E se você gosta da moda de fetiches, dê uma olhada nas sexshops.



publicado por adm às 22:09
link do post | comentar | favorito

Toda a mulher finge orgasmo?



É comum você ouvir alguma mulher, seja na televisão, cinema ou vida real, que diga que já fingiu o orgasmo pelo menos uma vez durante alguma relação sexual.

Será que toda mulher é assim? E por que fingir o ápice do prazer em uma relação?

“É necessário compreender o porquê da necessidade desta mulher simular um orgasmo. Entender como está a comunicação e a qualidade da relação afetiva e sexual dessa mulher, que reflete na pouca confiança em relatar ao parceiro de que não tem orgasmo”, explica a psicóloga associada ao Instituto Paulista de Sexualidade, Giovanna Lucchesi.

É difícil saber se a mulher finge o orgasmo para agradar o parceiro ou terminar logo a relação sexual. De acordo com a psicóloga, as duas coisas podem acontecer. “Ouvimos histórias de mulheres que simulam orgasmos para que a relação sexual termine mais rápido, pois para ela a relação não está adequada. A simulação também ocorre pelo medo de perder o parceiro”, diz Giovanna.

O homem não costuma perceber quando a mulher teve realmente um orgasmo ou está apenas fingindo. Ao contrário do masculino, que é correlacionado à ejaculação, o orgasmo feminino se manifesta por contrações sutis na vagina, o que dificulta sua percepção. Sendo assim, é preciso uma conversa franca entre o casal para que a mulher possa chegar ao ápice. Afinal, a maior prejudicada no fingimento, é ela. “A simulação do orgasmo em si não acarreta nenhum mal para a saúde da mulher, porém os motivos dessa simulação e a omissão de busca por uma qualidade sexual é algo que deve ser observado com atenção”, opina a psicóloga.

Para chegar definitivamente ao orgasmo, é preciso primeiro que a mulher conheça seu corpo e saiba alcançar o prazer sozinha. Além disso, é preciso uma conversa franca e de qualidade com o parceiro. “A sexualidade deve ser discutida sem tabus e essa mulher deve se sentir confortável em demonstrar como gosta de ser tocada”, diz Giovanna.

Mas é preciso também deixar um mito de lado. Não é porque o orgasmo não foi alcançado que não existiu prazer na relação. “Existe um discurso social que prega que sexo só é efetivo quando há o orgasmo. Esse mito limita a compreensão da sexualidade, afinal, pode se fazer sexo prazeroso e não chegar ao orgasmo em todas as ocasiões, sem que essa mulher tenha a sensação de ser inadequada sexualmente”, garante Giovanna.



publicado por adm às 00:08
link do post | comentar | favorito

.pesquisar
 
.posts recentes

. Posições do Kama Sutra: a...

. Conselhos sobre sexo oral

. Virgindade – A primeira v...

. As principais curiosidade...

. 12 maneiras de se mastur...

. O Sexo dos tempos moderno...

. Os homens também fingem o...

. Erotismo e Poder

. Fantasias sexuais dos sig...

. Você só faz sexo na hora ...

. Impotência Sexual – Dúvid...

. Relações sexuais durante ...

. Sexo Seguro

. Orgasmo Feminino: Como Fa...

. Beijos, abraços, aperto d...

.Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

.tags

. todas as tags

.links
.subscrever feeds