Quinta-feira, 6 de Maio de 2010
Acessorios eróticos-explorando e conhecendo a sua intimidade

A primeira questão que tentaremos abordar é: "por que o uso de acessórios eróticos?". O que eles têm a ver com nossa sexualidade? Em quê eles poderiam nos ajudar, se é que isso acontece?

Para a maioria das pessoas, o simples uso de um vibrador é entendido como "descontentamento sexual". Ou seja, ou o parceiro não está "dando conta do recado", ou é por "efeito da solidão"... Veremos que não é bem assim.

Na civilização greco-romana, o uso de acessórios eróticos foi grandemente difundido. Escavações das décadas de 1960 e 1970 em Herculano e em Pompéia recolheram material suficiente para equipar um pequeno "museu erótico", mas que infelizmente está com visitação restrita. Nas culturas árabe clássica, chinesa, japonesa, indiana antigas e em outras, o uso de acessórios nas cortes era bastante difundido e até estimulado.

O que são "acessórios eróticos"? Basicamente, qualquer objeto que insinue, ou que seja definitivamente usado para excitar a si ou ao parceiro. Um simples pedaço de napa vermelha e muito macia poderia ser um acessório erótico para alguém que se excite com aquela textura macia do couro tratado. Há também acessórios que se podem apenas simular, não sendo recomendável seu uso. A exemplo, frutas e legumes frescos, objetos de uso quotidiano como canetas e outros que como não foram desenhados para o objetivo, poderiam causar lesões por perfuração ou corte, portar bactérias e outros agentes nocivos/irritantes, etc..

Qual o conceito que está por trás de "estimulação erótica"? Em primeiro lugar, explorar e conhecer seu próprio corpo. Nos orgulhamos de termos nascido em uma "sociedade livre de preconceitos", mas o fato é que nunca se falou tanto e nunca se praticou tão mal a sexualidade humana. Não conhecemos nosso corpo, não sabemos nossos limites. Nunca nos ensinaram na escola a segurar o orgasmo, esperando o parceiro atingir igual excitação. Nunca disseram para nós o que fazer após o acto sexual. É tudo isso que precisamos redescobrir.

Como fazer isso? Em primeiro lugar, você deve estar disposto a se conhecer melhor, a ensaiar na frente de um espelho. Aconselho a arranjar um espelhinho portátil e uma fonte de iluminação adequada. Com as mãos, você deverá explorar seus órgãos sexuais, conhecer melhor seu próprio corpo. Explore outros ângulos de visão, com ajuda do espelho é possível conhecer melhor as dobras da vagina, bolsa escrotal, ânus e região próxima. Dificilmente alguém que não se conhece aprenderá a se amar. Quem não se ama, não poderá fazer o mesmo com o parceiro.

Para quê servem os acessórios eróticos? Basicamente, enumerei seis utilidades: 1-voyerismo; 2-excitar e prolongar as prévias antes da cópula melhorando a ereção; 3-produzir excitação e gozar(orgasmo), ou prolongar o clímax; 4-iniciação em práticas "avançadas"; 5-jogos BDSM


1-voyerismo. Muitas pessoas se excitam em assistir ao parceiro trajado de determinada maneira, ou tendo sensações eróticas/fazendo uso de acessórios. Pessoalmente, me incluo nesta categoria. Os "sex-shops" normalmente possuem material abundante para isso e infelizmente, na maior parte de baixa qualidade. Se for comprar vestimentas, verifique se não é possível mandar confeccionar em algum lugar exclusivo antes de apelar para fantasias baratas. Dica: dificilmente quem confecciona trajes de gala se espanta com pedidos estranhos...

Aconselho sempre a dialogar com o parceiro(a). Se não quiser abordá-lo diretamente, pode presenteá-lo com alguma vestimenta ou acessório especial. Na hora de entregar o presente, demonstre naturalidade e não tente se explicar. Nossa cultura nos obriga a negar o prazer e não raramente, uma resposta inicial de repúdio do parceiro pode significar, de fato, aprovação. Seja paciente, ganhe aos poucos a confiança e o mais importante: não o obrigue a vestir ou fazer nada. Tudo deve ocorrer naturalmente.

Se o presente for um acessório. No caso de mulheres, escolha ou um pênis de borracha macia de tamanho pequeno (tome muito cuidado com a qualidade), ou um desses excitadores clitorianos (em forma de ursinho, coelhinho, unicórnio, etc..). Saia fora de acessórios grosseiros, equipamentos inadequados ou extravagantes e desconfie dos que forem baratos demais. Importante: teste muito bem o aparelho antes de sair da loja: normalmente a porta do estabelecimente é o limite sua garantia... (ah, e não esqueça de dar as pilhas junto com o aparelho!)

No caso de homens, presenteie com algum acessório peniano. A educação masculina obriga a repudiar o erotismo anal, que na maioria dos casos permanece latente. Portanto, não comece dando logo de cara um plugue anal para seu namorado/noivo/marido. Não são aconselháveis: bombas de vácuo (perigosas demais - apenas para experientes), anéis metálicos (entalam com freqüência e devem ser retirados num serviço de saúde), vibradores para escroto (podem causar lesões irreversíveis/impotência). Recomendo pequenos vibradores (são fantásticos para estímulação da glande), vibradores com adaptador para cabeça do pênis, anéis de borracha macia para base de pênis (com ou sem vib) e principalmente: uns masturbadores em borracha macia. Estes possuem a forma de um cilindro transparente e dão sensações eróticas indescritíveis (não são aquelas "vaginas de silicone"). Importante: não esqueça de comprar também um tubo de KY na farmácia (normalmente é mais barato).

Plugues anal - se a prática já for conhecida entre os parceiros, aconselho começar com um plugue pequeno. A adaptação aos acessórios de borracha dever ser feita com muita cautela, com o risco de causar danos irreversíveis. Se for presentear com um vibrador em formato de pênis e acabamento em borracha, aconselho de seja inserido por esta via com uso de camisinha. Cuidado com plugues metálicos (devem ser totalmente lisos e ausentes de farpas). O problema da borracha é que é porosa e será quase impossível higienizar o acessório após o uso. O uso de acessórios infláveis comporta riscos e deve ser considerado uma prática BDSM "avançada" - cuidado!

2-Excitar/provocar o parceiro antes da cópula. O essencial nestas práticas é não produzir o orgasmo. É uma espécie de equilíbrio muito delicado: se sentir qualquer espécie de dor indesejada, o parceiro(a) irá perder a excitação e provavelmente tudo se acaba; se a estimulação for insuficiente, perde o interesse e irá se distrair; se for forte demais, irá gozar e tudo se encerra como se tivesse ocorrido a cópula. Os antigos ficavam nestes jogos por horas a fio. Pode haver pausas, pode-se parar para fazer xixi e depois retomar os jogos. O importante é que haja continuidade e que possa ser sustentado por muito tempo.

Não tenha pressa. Não vá "cêdo ao pote". A excitação é como o desabrochar de uma flor, não pode ser forçada ou esta será uma flor doente. Tenha as mãos muito leves, faça transições lentas. O beijo ajuda a manter a ereção. Se for tocar a região genital ou inserir algo, tenha certeza de que está tudo muito bem lubrificado (lubrifique o aparelho e não a genital). A televisão distrai. Música clássica em CD é mais aconselhável que MPB ou FM. Deixe uma garrafa de água por perto e não marque compromissos para o dia. Se for atender o telefone, não interrompa os estímulos.

Com o tempo, será possível "treinar" o parceiro para este aprender a segurar o gozo. Isto irá melhorar o desempenho sexual de ambos. Quando se aprende a controlar o próprio corpo, é possível por exemplo, manter a ereção por períodos prolongados e a penetração fica mais "interessante". (Pode ser feito individualmente, sem o mesmo resultado). Lembre-se: formar uma "máquina de sexo" exige tempo de treinamento...

Se for usar "eletroestimulação" (aparelhos próprios para isso), use baixíssimas intensidades, por períodos bem prolongados. Enquanto o aparelho estiver operando, lembre-se de que beijo é terminantemente proibido!

3-Levar o parceiro ou a si ao orgasmo. Se pretende simular o sexo com um acessório erótico, há algumas regras que devem ser seguidas. Como a maioria das pessoas as desconhece, é usual comprarem um acessório em uma "sex-shop" e sobrevir a decepção. Vamos a algumas delas.

Primeiramente, seu corpo não é uma "máquina de sexo". Não basta introduzir/adaptar o acessório e esperar o gozo. Pelo contrário, já que está emulando a prática sexual, deve seguir todas as etapas. Não adianta tentar "violar a natureza", antes adaptar as técnicas à nossa constituição natural.

Consideremos as seguintes fases: a)despir-se/iniciar os jogos eróticos - se for fazer isso sozinho(a), faça-o na frente de um espelho. Dispa-se bem devagar, explore a sensualidade das suas formas, sejam elas quais forem; b)começo das "brincadeiras" - um lugar macio para sentar/deitar e à prova de vazamentos de KY e fluidos. Aconselho a ter uma toalha especial para proteger sua cama/sofá. Os jogos devem ser lentos e começa-se a alisar, passar a mão bem de leve sobre as zonas eróticas. Depois começam as experimentações com os acessórios. Se tiver mais de um, deixe-os por perto, assim como coisas que o(a) excitem (livros, fotografias, filmes, etc..). Só comece os jogos mais pesados quando sentir que começaram a ficar molhado(a)... (esta fase deverá durar entre dez e quarenta minutos, de maneira geral); c) introduzir/acoplar seu "acessório de cópula". Lubrifique o acessório bem antes de fazer isso e mantenha-o firme em sua posição durante a "cópula". Pode se mexer ou movimentar o acessório, se assim desejar, mas não o retire/desacople até atingir o clímax; d) clímax e orgasmo - quando perceber que vai ter o orgasmo, tente assim mesmo "segurar o orgasmo". Na verdade, isso irá aumentar o tempo de excitação máxima, sempre mantendo o aparelho no lugar. Quando começar a gozar, certifique-se de que o equipamento não irá desacoplar, pois deve ainda prolongar o prazer por algum tempo. Não basta "excitar e gozar", deve-se manter a excitação também durante o orgasmo e um pouco mais, ou não irá ficar satisfeito(a). Se for um equipamento de "eletroestim", é conveniente baixar um pouco a intensidade dos choquinhos nesta hora, pois a região fica mais sensível que o normal. e) após o orgasmo- muitas pessoas ignoram esta fase, que é uma das mais importantes. Retire/desacople os acessórios lentamente, solte amarras e mordaças devagar e acaricie muito o parceiro(a). Aconselha-se a ficar abraçado por um tempo e há homens e mulheres que gozam ainda uma outra vez desta maneira (sim, homens também!). Depois, uma dormida ou uma pequena descansada e nada como um bom banho! Evite nesta hora falar alto ou colocar música irritante (a não ser que curta um bom "heavy metal").

4-Iniciação em "práticas avançadas". Pode ser que seu objetivo seja por exemplo, explorar o sexo anal ou o "fisting" (introdução de membros na vagina ou ânus). Neste caso, deve buscar acessórios eróticos que irão gradualmente ajudá-lo a explorar esta dimensão da sua sexualidade. Não considere anormalidade também o homem buscar o prazer anal. A nossa sexualidade exclui os "anormais" (gays, lésbicas, sadomasoquistas e outros) e dependendo da educação recebida, a "purificação" vai ainda mais longe, proibindo estimulação na zona anal, felação (masturbação), exploração sensual do próprio corpo e até mesmo negando a própria libido (desejo sexual).

Se você segue este caminho, muito bem. Não deveria estar lendo este texto. Mas se você acredita que as coisas poderiam tomar outros rumos, então é possível explorar outras dimensões na sua forma de encarar o prazer erótico. Hoje os "sex-shops" estão mais abertos e a importação garantiu a entrada de equipamentos antes desconhecidos no mercado brasileiro. Para os iniciantes em sexo anal, por exemplo, há "kits" de plugues anal de tamanhos progressivos, indo desde o "iniciante", até o "avançado" e em diversas cores. Para praticantes do "fisting", já vi mãozinhas e braços de todos os tamanhos e não mais é necessário começar com um acessório de tamanho inconveniente. O mundo BDSM é um universo à parte e a criatividade atinge níveis indescritíveis. Infelizmente, ainda há quem pense que "bolinhas tailandesas", por exemplo, servem apenas aos "depravados"...

Dica: se for começar uma prática nova, seja ela "pumping" (uso de bombas de vácuo), "fisting" (introdução de dedos e punho) ou qualquer outra, aconselho a buscar ajuda de pessoas mais experientes. Não tenha pressa em se iniciar em uma prática que desconheça os efeitos. Se possível, converse com um médico da sua confiança para esclarecer eventuais dúvidas. Cuide muito bem do aspecto da higienização dos equipamentos e no caso de surgir qualquer tipo de lesão por efeito mecânico (acidente físico) ou por agente microbiano (infecções), procure seu médico imediatamente.

5-BDSM. A "bondage e dominação, sadismo e masoquismo" é praticamente universo à parte. Há pessoas inciadas das mais diversas opções sexuais e os ritos também são muito diversificados. Existem desde práticas "light" até as mais "pesadas" imagináveis. A regra básica a seguir é: "são, seguro e consensual" e deve-se ter em mente que qualquer prática desta natureza envolve sim, riscos. Os riscos podem ser gerenciados, mas jamais ignorados.

Se for se iniciar, procure se informar muito bem antes. Você terá que aprender a distinguir os "falsos mestres e senhoras" dos verdadeiros. Qualquer prática que viole qualquer uma das três "regras de outro" (são, seguro, consensual) não deve ser considerada BDSM e sim um tipo penal punível por lei.

Se for o caso, antes de sair comprando chicotes, braceletes e máscaras, entre em contato com praticantes do BDSM real (não valem "mestres" dos chats de Internet). Quase que certamente, deverá ter que confeccionar seus próprios acessórios, uma vez que o que é vendido nas "sex-shops" é praticamente imprestável (não acredite nos "conselhos da vendedora", a não ser que quem esteja comercializando realmente "entenda do assunto").

Sim, BDSM é 9O% teatro. Sim, é necessário aprender a se portar, a vestir e trajar os "uniformes" e a ordenar/obedecer. É preciso ensaiar muito, uma vez que se "faz um papel". Os acessórios devem ser muito bem testados previamente e não se admite a menor falha no "ato". É possível se "inverter papéis", desde que todos saibam precisamente qual o papel que está desempenhando.

Mas há os 10% que não tem nada de encenação. Para isso, é necessária muita prática ou os acessórios não irão funcionar. Se for chicotear, aprenda antes com alguém que saiba fazer isso muito bem. Experimente antes em você mesmo, até que tenha certeza do que está planejando, que não irá colocar em risco ou comprometer a saúde do parceiro(a). Se for usar "eletroestim", pratique muito em você mesmo antes e não tenha seu limite como parâmetro universal, pois há pessoas mais e outras menos sensíveis. Muita dor não significa necessariamente muito prazer; o resultado ideal está em um casamento perfeito das duas coisas e na medida exata. Jamais use eletricidade "acima da cintura" e eletroestimulação de mamilos definitivamente não é uma boa idéia!



publicado por adm às 23:47
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar
 
.posts recentes

. Posições do Kama Sutra: a...

. Conselhos sobre sexo oral

. Virgindade – A primeira v...

. As principais curiosidade...

. 12 maneiras de se mastur...

. O Sexo dos tempos moderno...

. Os homens também fingem o...

. Erotismo e Poder

. Fantasias sexuais dos sig...

. Você só faz sexo na hora ...

. Impotência Sexual – Dúvid...

. Relações sexuais durante ...

. Sexo Seguro

. Orgasmo Feminino: Como Fa...

. Beijos, abraços, aperto d...

.Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


.arquivos

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

.tags

. todas as tags

.links
.subscrever feeds